Fazendo som: ímãs

Autor: 
Tom Harris

Então, como a oscilação faz o espiral do alto-falante se mover para frente e para trás? O eletroímã é posicionado em um campo magnético constante criado por um ímã permanente. Esses dois ímãs, o eletroímã e o ímã permanente, interagem entre eles. A extremidade positiva do eletroímã é atraída pelo pólo negativo do campo magnético permanente, e o pólo negativo do eletroímã é repelido pelo pólo negativo do ímã permanente. Quando a orientação polar do eletroímã muda, então a direção da repulsão e atração também mudam. Desse modo, a corrente alternada constatemente inverte as forças do ímã entre o espiral de voz e o ímã permanente. Isso empurra o espiral para frente e para trás rapidamente, como um pistão.

Quando uma corrente elétrica que está fluindo através do espiral de voz muda de direção, a orientação polar do espiral se inverte. Isso muda as forças magnéticas entre o espiral de voz e o ímã permanente, movendo o espiral e o diafragma anexo para frente e para trás.

Quando o espiral se move, ele puxa e empura o cone do alto-falante. Isso vibra o ar em frente ao alto-falante, criando as ondas sonoras. O sinal elétrico de áudio também pode ser interpretado como uma onda. A freqüência e a amplitude dessa onda, que representa a onda sonora original, ditam a taxa e a distância a que o espiral de voz se move. Isso, por sua vez, determina a freqüência e a amplitude das ondas sonoras produzidas pelo diafragma.

Os diferentes tamanhos de condutores são mais bem adequados para certas variações de freqüência. Por essa razão, as unidades de alto-falantes geralmente dividem uma grande variação de freqüência entre múltiplos condutores. Na próxima seção, vamos descobrir como os alto-falantes dividem a variação de freqüência e  vamos dar uma olhada nos tipos de condutores usados nos alto-falantes.