Como jogar

Autor: 
Cíntia Costa

Existem vários jeitos diferentes de jogar, mas a base de todos é tentar acertar bolas nas áreas delimitadas (linhas, círculos, buracos) e nas dos adversários, podendo conquistá-las para si ou não. Depende se os participantes combinaram de jogar para valer, ou seja, concordando em perder as bolinhas se for o caso (“à vera”, “à ganhe”) ou se no fim do jogo cada um volta para casa com as mesmas bolinhas que levou (“à brinca”, “à brinques”).

Bola de gude - jogo
iStockphoto/Ron Bailey

Veja alguns dos jeitos mais populares de brincar com bolas de gude.

Com buracos no chão

  • Lóca

Faça um buraco no chão. De uma distância de aproximadamente 3 metros, cada jogador deve tentar “enlocar” a bolinha (acertá-la no buraco). Quem conseguir, ganha um bola de cada jogador. Quem errar vai para o fim da fila. Ganha o jogo quem conquistar mais bolas adversárias.

  • Búlica, borroca ou três covinhas

Faça três buracos (borrocas) em linha no chão de terra com uma distância de cerca de 2 metros entre cada. Para decidir quem começa, cada participante joga uma bolinha em direção à última borroca e ganham preferência os que chegarem mais perto.

O jogador começa lançando uma bola em direção à primeira borroca. Se errar, passa a vez para o próximo. Se acertar, tenta novamente, mirando a segunda borroca dessa vez, ele continua jogando se acertar dentro ou se a bolinha cair a menos de um palmo de distância. Se acertar uma bolinha adversária no caminho e afastá-la do alvo, melhor ainda.

O objetivo é acertar as três borrocas em seqüência, na ida e na volta. Quando acertar a primeira borroca pela segunda vez, ele ganha o direito de “caçar” as bolinhas dos adversários. Isso significa que as bolinhas que ele acertar com a sua ficam para ele.

  • Oca

Desenhem um círculo de cerca de 3 metros de diâmetro e façam um buraco bem no meio, um pouco maior que o tamanho de uma bola de gude. Todos os jogadores jogam uma bola em direção ao buraco. O objetivo então é tentar “encaçapar”.

  • Box

Faça quatro buracos no chão formando um “L” (três em linha formam a perna maior da letra e um quarto, ao lado do último, forma a perna menor). O jogador deve atirar sua bolinha em direção ao primeiro buraco. O objetivo é percorrer o L acertando cada um dos quatro.

Sempre que erra, o jogador passa a vez para o próximo e, quando chega novamente sua vez, volta a jogar de onde parou. Por isso, vale também atrapalhar a vida dos outros jogadores ao usar sua vez para acertar a bolinha de alguém e afastá-la do alvo.

Quando um jogador consegue percorrer todo o L, ele ganha o direito de "sair à caça": cada bolinha que ele acertar passa a ser sua.

Sem buracos no chão

  • Triângulo

Bola de gude - sem buracos no chão
iStockphoto/Ron Bailey

Desenhe um triângulo no chão e coloque três bolinhas de cada jogador dentro. Em alguns países e Estados do Brasil, as crianças desenham círculos. Os jogadores têm o objetivo de “matar” as bolinhas dos adversários. Para isso, jogam uma bola contra a do adversário, tentando tirá-la de dentro do espaço, usando uma das suas para “tecar” (acertar de leve) as do outro e tirá-las do espaço delimitado. A bola que ele jogar não pode ficar dentro do triângulo, senão ele perde a vez. Ganha quem conquistar o maior número de bolas.

  • Mata-mata

É a mais simples das modalidades: cada jogador deve tentar acertar a bolinha jogada pelo anterior e, assim, ganhá-la para si. O jogo começa com uma bolinha grande colocada no chão, em espaço livre. O primeiro jogador tenta acertá-la, o segundo mira a bolinha do primeiro e assim por diante. O jogo só acaba quando os participantes quiserem.