O que torna uma figura tridimensional?

Autor: 
Curt Franklin

Uma figura que tem ou parece ter altura, largura e profundidade é tridimensional (ou 3-D). Uma figura que possui altura e largura mas não possui profundidade é bidimensional (ou 2-D). Algumas delas são bidimensionais propositalmente. Pense nos símbolos internacionais que indicam a porta que leva a um toalete, por exemplo. Os símbolos são projetados para que você possa reconhecê-los assim que os visualiza. É por isso que utilizam somente os formatos mais básicos. Os bidimensionais são úteis para comunicar algo simples, rapidamente. Já os tridimensionais contam uma história mais complicada, mas precisam carregar muito mais informações para isso.

Dê uma olhada nos triângulos acima. Cada um dos triângulos da esquerda possui três linhas e três ângulos: tudo o que é necessário para caracterizar um triângulo. Vemos a imagem à direita como uma pirâmide: uma estrutura 3-D com quatro lados triangulares. Observe que é necessário cinco linhas e seis ângulos para caracterizar uma pirâmide, quase o dobro das informações necessárias para caracterizar um triângulo.

Por centenas de anos, os artistas aprenderam alguns dos truques que podem tornar uma pintura bidimensional parecer uma janela no mundo real. Você pode ver alguns deles em uma fotografia que seja escaneada e visualizada no monitor do computador: os objetos parecem menores quando estão mais distantes; quando objetos próximos à câmera são focalizados, os que estão mais distantes tornam-se embaçados e as cores tendem a ser menos vibrantes conforme se distanciam. Quando falamos sobre gráficos tridimensionais nos computadores atuais, não estamos falando sobre fotografias estáticas, e sim sobre imagens que se movimentam.

Se a transformação de uma imagem bidimensional em tridimensional requer a inclusão de muitas informações, a transformação de uma imagem tridimensional estática em imagens que se movem realisticamente requer muito mais. Isso ocorre, em parte, porque ficamos mal acostumados. Esperamos um alto grau de realismo em tudo o que vemos. Na metade dos anos 70, um jogo chamado "Pong" impressionava as pessoas com seus gráficos. Atualmente, comparamos jogos de videogame a filmes em DVD e queremos que os jogos sejam tão detalhados quanto os filmes. Isso determina um desafio para os gráficos tridimensionais em computadores do tipo PC, Macintosh e em consoles de jogos como o Dreamcast e o Playstation II.