Como funciona o iPad

Autor: 
Josh Briggs

Steve Jobs apresenta o iPad em 27 de janeiro de 2010
Reprodução / Apple
Steve Jobs apresenta o iPad em 27 de janeiro de 2010

Imagine acordar de manhã e seu jornal já estar entregue eletronicamente em um gadget high-tech esperando que você o leia. Quando você terminar de ler o jornal, pode ficar a par das cotações e análises sobre as suas ações na Bolsa de Valores. Aí, no caminho para o trabalho, você pode assistir a um vídeo ou jogar alguns joguinhos.

27 de janeiro de 2010 pode ser o dia em que o mundo dos gadgets olhará para trás e verá como um momento decisivo da computação pessoal e da maneira como nós usamos a mídia digital. Ou pode ser também o dia em que a Apple pegou o caminho errado. Este foi o dia em que a empresa anunciou o lançamento de seu muito antecipado iPad. Como é comum com os produtos da Apple, o desenvolvimento do iPad foi mantido atrás de uma cortina de segredos. Tão logo a cortina subiu, surgiu um novo dispositivo colocado em algum lugar entre um smartphone e um computador. Foi quando todas as perguntas começaram a pipocar.

Leia também
  • 5 mitos sobre a Apple
  • 5 mitos sobre Steve Jobs
  • Como funciona o iPhone
  • Como funciona o Kindle

  • À primeira vista, o iPad se parece com um iPhone ou iPod Touch bombado. Ele é muito maior que os dois dispositivos citados, mas menor que um notebook. Seu acabamento suave e planejamento único transpiram o design Apple. Mas muitos estão imaginando: O que é exatamente o iPad? Para Steve Jobs, é um dispositivo que faz certas coisas de maneira muito melhor que um smartphone e um notebook. Mas a resposta rápida é um tablet de mídia digital. Se você ficou mais confuso ainda com a resposta, não se preocupe. Este artigo tem como objetivo lançar alguma luz sobre o dispositivo que vem causando tanto tititi.

    Antes de falar de seus recursos e características, vamos começar dando uma olhada em seu design.