O que é o iPhone?

Autor: 
Jacob Silverman

11 de janeiro de 2007

Por muitos anos, os fãs da Apple se perguntaram se ela realmente estava criando um celular. Rumores eram sussurrados aqui e ali, mas a empresa, conhecida pelo sigilo com que envolve seus produtos em desenvolvimento, não se pronunciava. Nos últimos seis meses, os rumores começaram a aumentar quando analistas do setor também começaram a prever que a Apple produziria um telefone celular na primeira metade de 2007. Em novembro de 2006, vazaram notícias de que a Apple havia feito um pedido de produção para a Hon Hai Precision Industry, Co. (parceira de longa da Apple com fábrica localizada em Taiwan) de 12 milhões de unidades de um novo equipamento que se acreditava ser o suposto iPhone [Forbes - em inglês]. Essa notícia acelerou a velocidade com que os rumores surgiam, mas a Apple e Steve Jobs, o CEO da empresa, continuavam a não se pronunciar. Analistas começaram a fazer previsões de custo, funções e de quando o telefone estaria disponível. Vários deles alegavam ter informações internas. Levando em consideração o extraordinário histórico da Apple com o iPod e suas recentes inovações no design de desktops e laptops, as expectativas eram muito grandes.

Em 9 de janeiro, na amostra anual de produtos da Apple, a Macworld Expo, Jobs finalmente falou a respeito do tão aguardado telefone e o aparelho está além do que todos esperavam. Jobs, durante seu discurso de abertura na amostra, anunciou três novos produtos da Apple: um iPod widescreen, um telefone celular e um comunicador da Internet. Cada anúncio vinha seguido de aplausos entusiasmados do público, mas o que Jobs revelou finalmente era que esses três produtos eram, na verdade, partes de um único equipamento: o iPhone.

O iPhone da Apple
Imagem cedida por Apple/ ©2006 Apple Computer, Inc. All rights reserved

Mencionado como um celular revolucionário, o iPhone pode fazer ligações, tocar músicas, navegar na Internet, editar fotos, exibir filmes e mensagens de texto, e várias outras funções. E embora muitas das funções do iPhone já possam ser encontradas em outros equipamentos, ele parece ser único por unir com perfeição essas características e, ao mesmo tempo, implementar algumas inovações.

Jobs fez demonstrações de várias das características do iPhone para o público. Começou com uma ligação de Phil Schiller, o vice-presidente sênior de Marketing Global de Produtos da Apple. Jobs atendeu a ligação em seu iPhone, adicionou Schiller à sua agenda e, quando Schiller pediu uma foto, Jobs a mandou por e-mail sem precisar interromper a ligação. Depois, Jobs exibiu a capacidade do telefone de integrar aplicativos através do uso do Google maps, que sabia sua localização, fazendo a busca de um café da Starbucks. Todas as localizações dos Starbucks existentes em Chicago apareceram na tela. Então, ele escolheu um e, em poucos minutos, estava falando com a Starbucks pelo telefone, fazendo um pedido de 4 mil cafés com leite quando desligou o telefone rapidamente.

Para realizar essa integração perfeita de Internet, telefone, mídia e funções de mensagens, o iPhone emprega uma tecnologia inovadora. Diferentemente dos smartphones tradicionais, que têm teclados pequenos e que dão cãibras nos dedos, o iPhone possui apenas um botão para home. E no lugar do restante dos botões, sua tela colorida de pouco menos de 9 cm e alta resolução, que ocupa a maior parte da frente do telefone, também atua como uma tela de toques múltiplos. Controles diferentes são exibidos dependendo do que se está fazendo. Se estiver digitando uma mensagem de texto ou de e-mail, um teclado aparece na parte inferior da tela e é possível digitar, sem esforço, uma mensagem e enviá-la para alguém da sua agenda. Além disso, a tecnologia de toques múltiplos também possui uma função de auto-correção para toques não intencionais e erros de digitação. Quanto à música e vídeo, os controles de volume e de reprodução aparecem na tela, com o mesmo acontecendo para outras aplicações.

A interface de toques múltiplos do iPhone dá a oportunidade de usos inovadores da tela de toque. Por exemplo, ao ver uma foto ou navegar pela Internet, basta realizar um movimento de beliscão com dois dedos e você verá a foto ou página ampliada. Separe dois dedos e a tela afasta a imagem. Para rolar em qualquer um dos aplicativos, é só passar o dedo para cima ou para baixo na tela.

Uma inovação interessante é o que a Apple chamou de correio de voz visual. Não será mais preciso ouvir todas as suas mensagens de voz se não quiser. Em vez disso, elas irão aparecer em uma lista, como em uma caixa de entrada de e-mails, e bastará apontar para a mensagem que deseja ouvir.

A Apple também integrou três sensores ao telefone. Um é o acelerômetro, que percebe quando você coloca o telefone de lado e automaticamente altera a tela para o modo paisagem. Essa função é útil para visualizar fotos panorâmicas, vídeos ou para escolher um de seus álbuns pela arte da capa. Um segundo sensor detecta a luz ambiente e ajusta o brilho da tela para economizar energia. Já o terceiro sensor desativa a tela quando você aproxima o telefone do seu rosto, o que vai impedir que você faça outra ligação enquanto já estiver falando com alguém ao telefone.

Assim como acontece com vários produtos da Apple, o iPhone tem uma sincronização fácil com um Mac ou com um PC. O telefone roda uma versão do já confiável sistema operacional da Apple, o OSX, e seus programas e conector para o iPod (localizado na parte inferior do telefone) serão familiares para vários usuários do Mac. Utilize o conector do iPod ou uma unidade de acoplamento para conectar o telefone ao seu computador e o iPhone automaticamente irá sincronizar sua agenda, fotos, filmes, músicas e favoritos entre o computador e o telefone.

Tudo isso pode parecer maravilhoso, mas há alguns "poréns".

  • O iPhone não vai estar disponível antes de junho: a Apple precisa da aprovação da FCC (Comissão Federal de Comunicações dos EUA) antes que o iPhone possa utilizar uma faixa de rádio.
  • A Apple possui um contrato de exclusividade com a Cingular até 2009, o que significa que se quiser ter um iPhone, vai ter de ser um cliente da Cingular.
  • O iPhone custa caro. Um iPhone de 4 GB irá custar cerca de US$ 499 por um plano de serviço de dois anos, enquanto um iPhone de 8 GB irá custar cerca de US$ 599 pelo mesmo plano de serviço. 

Aqui está uma pequena lista com algumas das outras características do iPhone:

  • funções sem fio 802.11 b/g WiFi e bluetooth 2.0
  • GSM Quad-band e rede Cingular EDGE
  • tela com cerca de 9 cm e alta resolução com 160 ppp (pixels por polegada)
  • câmera digital de 2 megapixel
  • tempo de uso da bateria: 5 horas de conversação/vídeo/navegação, 16 horas de música
  • 11,6 mm de espessura, 136 gramas
  • suporte para e-mail IMAP e POP, com cliente de e-mail Yahoo! integrado
  • mensagens de texto são exibidas como conversas de mensagens instantâneas, facilitando bastante a tarefa de manter um registro das mensagens
  • alto-falante e conector padrão para fone de ouvido

Mas, afinal, o iPhone pode mudar a indústria dos telefones celulares? Isso vai depender de quem responder essa pergunta. Lembre-se de que pouquíssimas pessoas usaram o iPhone. Mas se levarmos em consideração a impressionante demonstração de Jobs e o histórico recente da Apple (mais de 100 milhões de iPods e 3 bilhões de músicas vendidos), é difícil duvidar que esse seja um produto extraordinário. As ações da Apple subiram 7% no dia do anúncio de Jobs e parece que estão indo para preços recordes.

Em outra notícia, a Cisco entrou com um processo contra a Apple por usar o nome "iPhone", que é uma marca registrada da Cisco. Aparentemente, as duas empresas estavam negociando para autorizar o nome "iPhone" para o produto da Apple, mas ainda não haviam chegado a um acordo quando Jobs anunciou o produto na CES.

Para mais informações sobre o iPhone e assuntos relacionados, confira estes links:

Fontes

  • Grossman, Lev. "A nova jogada da Apple: o iPhone". Time Magazine. 10 de janeiro de 2007.
  • Markoff, John. "A Apple apresenta um celular inovador". The New York Times. 10 de janeiro de 2007.
  • Thomas, Owen. "Steve Jobs revela o novo iPhone". CNNMoney.com. 9 de janeiro de 2007.
  • "Hon Hai, de Taiwan, obtém os pedidos da Apple para fabricar celulares e notebooks". Forbes.com. 14 de novembro de 2006.
  • "Apple - iPhone - Alta tecnologia - Especificações técnicas".
  • "Cobertura ao vivo do discurso de abertura do MacWorld San Francisco 2007"