Realimentação de força

Autor: 
Tom Harris

A idéia básica de um joystick com realimentação de força, também chamado de joystick de realimentação háptica (do grego "haptesthai", táctil), é mover o bastão ou manche em conjunto com a ação na tela. Por exemplo, se você estiver atirando com uma metralhadora em um jogo de ação, o bastão irá vibrar em suas mãos. Se você espatifar seu avião em um simulador de vôo, o manche será empurrado para trás repentinamente.

Os joysticks com realimentação de força possuem a maioria dos mesmos componentes que os joysticks comuns, com algumas poucas novidades importantes: um microprocessador integrado, um par de motores elétricos e até um trem de engrenagens ou sistema de correias. O diagrama abaixo mostra um design simples.

Os eixos X e Y, conectados ao bastão/manche, se acoplam cada um a um sistema  correia/polia. A outra extremidade da correia para cada eixo se acopla a um eixo do motor. Nessa configuração, o giro do eixo do motor irá mover a correia para movimentar a haste, e o giro da haste irá mover a correia para girar o eixo do motor. A função da correia é transmitir e amplificar a força do motor para o eixo.

Tanto o sinal elétrico do processador do joystick como o movimento físico do joystick, irá girar o eixo do motor. Desse modo, você ainda pode mover o joystick mesmo quando o motor o está movendo.

Na extremidade oposta do motor, o eixo está conectado aos sensores de posição do joystick (seus potenciômetros ou sensores ópticos, por exemplo). Sempre que o manche se move, seja por causa do motor ou do jogador, os sensores detectam sua posição.

O joystick possui um chip de memória ROM embutido, que armazena diversas seqüências de movimentos do motor. Por exemplo, ele poderá ter uma seqüência de metralhadora que instrui os motores a mudarem de direção rapidamente, ou uma seqüência de bazuca que instrui o motor a desviar o joystick repentinamente para trás e então novamente para frente. O software do jogo solicita uma seqüência particular e o computador transmite a solicitação para o processador onboard do joystick, que utiliza os dados apropriados armazenados em sua própria memória. Isso reduz a carga de trabalho sobre o computador e possibilita tempos de reação mais rápidos.

À medida que os joysticks continuam a evoluir, os fabricantes aproveitarão a tecnologia de realimentação de força em níveis totalmente novos. Isso é ótimo para os jogadores contumazes, é claro, mas também poderá ter um grande efeito para o restante da população. A tecnologia do controlador com realimentação de força poderia levar a mudanças significativas no maquinário industrial, cadeiras de rodas e outros equipamentos para pessoas com deficiências, e mesmo para cuidados médicos. Os pesquisadores também desenvolvem controladores com realimentação de força para permitir que as pessoas "sintam" a Internet enquanto navegam.

As aplicações possíveis não têm fim! No futuro, os joysticks poderão ser tão onipresentes quanto os teclados de computador nos dias de hoje.

Para mais informações sobre as perspectivas futuras, assim como sobre as tecnologias atuais e passadas do joystick, verifique os links na próxima página.