Como funciona a LED TV

Autor: 
Gisele Ribeiro

LCD, plasma, HDTV. Mal começamos a nos acostumar com as tecnologias dos televisores finos, de alta definição e digitais, e uma nova geração de aparelhos começa a despontar no mercado. Baseada em diodos emissores de luz, ou LED, a nova tecnologia promete menor consumo de energia, maior durabilidade, melhor qualidade de imagens e aparelhos superfinos. E, como qualquer nova tecnologia, preços muito maiores também. Enquanto uma TV LCD de 42 polegadas custa em torno de R$ 3 mil, uma LED TV de mesmo tamanho custa muito mais que o dobro.

CES 2010
Quem visitou a CES 2010, que aconteceu em Las Vegas entre 7 e 10 de janeiro, deparou com várias novidades em tecnologia para TV. Se na edição de 2009 do evento, as LED TVs eram apenas protótipos avançados prestes a alcançar o mercado, em 2010 os modelos ultrafinos de LED viraram a vedete da feira. Quase todos os fabricantes de TV exibiram suas linhas de LED TV.

Visitantes da CES 2010 se aglomeram para ver as novidades em LED TV
CEA / Divulgação
Visitantes da CES 2010 se aglomeram para ver as novidades em LED Backlit TV

A família Infinity, da LG, ganhou o prêmio de inovação do evento ao combinar o design fino com conectividade em modelos full HDTV de até 47 polegadas. Ainda não surgiram, porém, as LED TVs de fato, 100%. Todos os modelos apresentados na CES 2010 casam iluminação traseira por LED com tecnologia de LCD.

Outra novidade em TV que chamou atenção na feira foram os aparelhos de TV 3D. Além da Philips, Samsung, Sony, Panasonic e JVC exibiram suas versões com tecnologia tridimensional. Ainda engatinhando, essa tecnologia promete estourar na edição de 2011 da CES.

Embora LED seja o nome da vez, a tecnologia é bastante antiga. Ela foi criada nos anos 1920 pelo russo Oleg Vladimirovich Lozev como uma fonte de luz eletrônica. Losev, um técnico de rádio, notou que os diodos emitiam luz quando uma corrente elétrica passava por eles. Os LEDs apresentam muitas vantagens sobre as fontes de luz tradicionais, incluindo baixo consumo de energia, vida útil mais longa, robustez e rapidez no ligar e desligar. Hoje, os LEDs são encontrados em brinquedos, controles remotos, computadores, relógios digitais, forno microondas, elevadores, celulares... A lista é praticamente infinita. Agrupados, os LEDs podem formar imagens, como nas telas jumbo de TV encontradas em estádios ou em painéis publicitários. Enfileirados, eles dão um novo rumo às tevês de LCD.

Mas é importante observar que apesar do nome LED TV, os novos televisores não passam de tevês LCD que usam luz de LED para iluminar a tela de cristal de líquido. Portanto, o uso do nome LED é mais uma jogada de marketing do que uma TV realmente de LED. A tecnologia LED captura as cores naturais da vida real com a produção
de pretos mais pretos, brancos mais vivos e forte contraste entre cores escuras e vívidas. Um display 100% de LED pode ser visto em estádios, na Times Square, em Nova York, e nas ruas de Tóquio. Eles são realmente grandes. E é justamente por essa razão que uma TV 100% LED não caberia em nossas casas. A menos, é claro, que tivéssemos uma sala de cinema. Comparado ao tamanho do pixel de uma TV LCD normal, o bulbo do LED é enorme. E para formar imagens realísticas, com todos os contrastes e gama de cores, seria preciso muitos bulbos e um gerenciamento de liga e desliga LEDs realmente eficaz.

Led TV
Reprodução/ Sony LearnTV
Painéis 100% de LED podem ser vistos em estádios esportivos, na Times Square de Nova York, e em Tóquio, no Japão. Em função do tamanho do bulbo do LED, uma TV 100% LED seria grande demais para caber na nossa sala

Jogada de marketing ou não, o fato é que o consumidor ávido por novidades tecnológicas já arregala os olhos para as LEDs TVs. E se ela nada tem de novo, então por que só agora os fabricantes de televisores resolveram colocá-la no mercado? E o que há de errado com as TVs de LCD atuais? Bem, as chamadas LED TVs são uma combinação de duas tecnologias: tela de LCD com iluminação por LED. As LCDs que conhecemos hoje usam tubos fluorescentes (Cold Cathode Fluorescent Lamp, ou CCFL) para iluminar a tela. Como resultado, elas têm um limite de espessura e problemas para criar pretos profundos. Isso acontece porque os tubos fluorescentes estão sempre ligados, e alguma luz vaza para a frente da tela mesmo quando parte da imagem deveria ser preta. Como consequência, a falta do preto profundo reduz a percepção do brilho da imagem da TV. O que as LED TVs fazem é iluminar a tela LCD com uma camada de LEDs, evitando o vazamento de luz. Saiba como na próxima página.