PROM

Autor: 
Jeff Tyson

Criar circuitos impressos ROM partindo do zero é demorado e muito caro para pequenas quantidades. Principalmente por esse motivo, fabricantes desenvolveram um tipo de ROM conhecido como memória apenas de leitura programável (PROM - programmable read-only memory). Memórias de circuitos impressos PROM não gravadas podem ser compradas a baixo custo e codificadas por qualquer um com um aparelho especial chamado de programador.

Circuitos PROM (Figura 2) possuem uma matriz de colunas e linhas como as ROMs. A diferença reside no fato de que cada intersecção de coluna e linha em um circuito PROM possui um fusível ligando-as. Uma carga enviada pela coluna passará pelo fusível em uma célula para uma linha aterrada, indicando o valor 1. Desde que todas as células tenham um fusível, o estado inicial (vazio) de um chip de PROM é todo 1. Para alterar o valor de todas as células para 0, usamos um programador para enviar uma quantidade específica de corrente para a célula. A tensão mais alta quebra a conexão entre a coluna e a linha, queimando o fusível. Esse processo é conhecido como queimar uma PROM.


Figura 2

Os circuitos PROMs só podem ser programados uma vez. Eles são mais frágeis do que os ROMs. Uma faísca de eletricidade estática pode facilmente causar a queima do fusível em uma PROM, mudando bits essenciais de 1 para 0. Mas PROMs virgens são baratas, sendo boas para a modelagem de dados em uma ROM antes de se envolver com o dispendioso processo de fabricação.