Um bebê camarassauro

Autor: 
Tracy Wilson

A idéia de um bebê dinossauro surgiu com Caleb Chung, co-inventor do Furby e um dos inventores envolvidos no projeto do Pleo. "[Chung] criou muitos e muitos produtos de outros tipos, e sempre quis fazer um dinossauro", diz Sosoka. O próximo passo foi determinar a espécie de dinossauro. "Queríamos produzir um quadrúpede porque eles eram mais estáveis", explica Sosoka.

Pleo
Foto cortesia Ugobe
O camarassauro: quatro patas, um pescoço comprido, uma longa cauda e uma cabeçorra

Além de ser estável, o Pleo precisava ser expressivo. Sosoka prossegue:

a capacidade de se expressar e interagir emocionalmente era um dos atributos cruciais que desejávamos incluir. A fim de fazê-lo, precisávamos incluir certas características no dinossauro, que tornariam mais fácil às pessoas perceber a emoção. A mais importante é a cauda. Se um cachorro tem uma cauda, você logo percebe o que ele sente-ela se ergue quando ele está animado, e se esconde entre as pernas do animal quando ele está com medo. Caso eles não estejam certos sobre a situação, mexem o rabo lentamente, até que decidem, "ah, está tudo bem" - e aí começam a abaná-lo.

A cauda não é a única razão para que os projetistas tenham optado pelo camarassauro. "O pescoço dessa espécie era relativamente longo. Muitos dinossauros não dispõem de pescoços realmente longos", diz Sosoka. "E ele também tinha uma cabeça bem grande. A cabeça do Pleo é proporcionalmente maior, não respeita a escala real, porque tínhamos muita coisa a instalar por lá. Mas a combinação entre a necessidade de uma cauda, uma cabeça de bom tamanho, um pescoço comprido e quatro patas nos conduziu a esse dinossauro específico".

Também existia material abundante de pesquisa sobre o camarassauro. O animal havia existido em grande abundância na América do Norte, com muitos fósseis disponíveis, entre os quais os de animais na infância e juventude. "Nós pudemos constatar que esse era o tamanho real que o animal teria com duas semanas de idade", diz Sosoka. "Eles saem de um ovo grande e redondo, e crescem enormemente. Nós escolhemos o tamanho real que um deles teria se uma pessoa pudesse vê-lo sair do ovo e correr pela sala".

Quando os criadores do robô decidiram quanto à espécie, o passo seguinte passou a ser o desenvolvimento de um protótipo. Na próxima seção, descobriremos como o Pleo se transformou de idéia em realidade.

Robôs de Brinquedo Pré-Históricos

Os robôs para uso doméstico podem parecer novidade, ou futuristas, mas robôs adquiridos em lojas e programáveis existem há tempo considerável. Por exemplo, nos anos 80 existiam robôs como o Omnibot e o Robbie Sr. Era possível programá-los por meio de um controle remoto - os robôs armazenavam os programas em fitas cassete. Alguns dos robôs atuais, entre os quais o Robosapien e o Robosapien V2, também podem ser programados com um controle remoto, mas eles armazenam informações em uma memória digital.