Como funciona a realidade virtual

Autor: 
Jonathan Strickland

O que passa na sua cabeça quando você escuta a palavra realidade virtual (RV)? Consegue imaginar alguém usando um capacete desajeitado preso a um computador por um cabo grosso? As visões de pterodáctilos criados grosseiramente o perseguem? Você pensa em Neo e Morpheus perambulando por Matrix? Ou você treme só de pensar, esperando apenas que vão embora?

virtual reality cave display
Foto cedida por Dave Pape
Um display CAVE de realidade virtual projetando imagens no chão, nas paredes e no teto para proporcionar total imersão

Se isso se aplica a você, provavelmente você é um cientista da computação ou um engenheiro, sendo que muitos evitam a expressão realidade virtual mesmo enquanto estão trabalhando em tecnologias que a maioria de nós associa à RV. Hoje, é mais comum você ouvir ambiente virtual (AV) referindo-se ao que o público conhece como realidade virtual. Nesse artigo, usaremos os termos alternadamente.

O que existe em um nome?
Realidade virtual já teve muitos outros nomes além de ambientes virtuais. Outros termos para realidade virtual incluem ciberespaço (palavra inventada pelo autor de ficção científica William Gibson), realidade artificial, realidade aumentada e telepresença.

Discrepâncias à parte, o conceito permanece o mesmo - usar a tecnologia de um computador para criar um mundo tridimensional simulado que um usuário pode manipular e explorar enquando tem a impressão de que está nele. Cientistas, teóricos e engenheiros criaram dezenas de dispositivos e aplicativos para chegar a essa meta. As opiniões diferem sobre o que exatamente constitui uma verdadeira experiência de RV, mas, geralmente, ela deveria incluir:

  • imagens tridimensionais que parecem ser de tamanho natural a partir da perspectiva do usuário
  • capacidade de acompanhar os movimentos do usuário, particularmente de sua cabeça e olhos, e ajustar as imagens no display do usuário para refletir a mudança correta

Nesse artigo, veremos as características de definição da RV, algumas tecnologias usadas nos sistemas de RV, alguns de seus aplicativos, algumas preocupações sobre a realidade virtual e um breve histórico da disciplina. Na próxima seção, veremos como os especialistas definem os ambientes virtuais, começando com a imersão.

Agradecimentos
Agradecemos a Mary Whitton, da Universidade da Carolina do Norte, em Chapel Hill, por sua ajuda nesse artigo.