Como funcionam os robôs

Autor: 
Tom Harris

Botão quiz robôs

O ser humano é formado por:

 

  • um corpo;
  • um sistema muscular, para mover a estrutura do corpo;
  • um sistema sensorial, que recebe informações sobre o corpo e o ambiente;
  • um sistema de energia, para ativar os músculos e sensores;
  • um sistema cerebral, que processa a informação sensorial e diz aos músculos o que fazer.

Claro, nós também temos atributos intangíveis, como inteligência e ética, mas a lista acima diz respeito às características físicas.


Foto cedida pela NASA
Um robonauta da NASA tem um corpo móvel, cérebro, sistema de energia e sistema de sensores, exatamente como uma pessoa

Um robô é formado pelos mesmos componentes: tem uma estrutura física móvel, um motor, um sistema sensorial, uma fonte de energia e um "cérebro" computadorizado que controla os demais elementos. Essencialmente, os robôs são versões da vida animal criadas pelos humanos. Eles são máquinas que replicam o comportamento humano e animal.

Neste artigo, vamos explorar os conceitos básicos da robótica e descobrir como os robôs fazem o que fazem.

Joseph Engelberger, um pioneiro na indústria robótica, declarou: "Eu não posso definir um robô, mas sei reconhecer um quando o vejo". Se você considerar como robôs todos os diferentes tipos de máquinas, vai perceber que é quase impossível chegar a uma definição única. Cada um tem uma idéia diferente do que é um robô.




Foto cedida por NASA ARC
Os snakebots (em inglês) da NASA exploram outros planetas. Eles podem cavar e passar por obstáculos e rachaduras de maneira autônoma.

Você, provavelmente, já ouviu falar de alguns destes robôs famosos:

  • R2D2 e C-3PO: os robôs inteligentes e falantes que têm personalidade e participam dos filmes Star Wars (em inglês);
  • o robô AIBO da Sony: um robô canino que aprende através da interação com os humanos;
  • o robô ASIMO da Honda: um robô bípede que dança e faz movimentos semelhantes aos dos humanos;
  • robôs industriais: máquinas automatizadas que trabalham nas linhas de montagem;
  • Data: o andróide quase humano da série Star Trek (em inglês);
  • BattleBots (em inglês): os lutadores de controle remoto do Comedy Central (em inglês);
  • robôs policiais, que desarmam bombas;
  • veículos exploradores de Marte, da NASA;
  • HAL: o computador da nave no filme 2001: Uma Odisséia no Espaço (em inglês), de Stanley Kubrick;
  • Robomower (em inglês): o robô que corta grama, fabricado pela Friendly Robotics;
  • o robô da série de televisão "Perdidos no Espaço";
  • MindStorms: o kit de robôs da LEGO;
  • Sonny: o robô positrônico NS-5 do filme "Eu, Robô", que têm emoções e fere a primeira das três leis da robótica criadas por Isaac Azimov no livro homônimo.

Todos os citados são considerados robôs, pelo menos para algumas pessoas. A definição mais ampla define um robô como: tudo aquilo que as pessoas reconhecem como um robô. Muitos roboticistas (pessoas que criam robôs) utilizam uma definição mais precisa. Eles dizem que os robôs têm um cérebro reprogramável (um computador) que move um corpo.

Por esta definição, os robôs são diferentes de outras máquinas móveis, como os carros, porque possuem um elemento computadorizado. Muitos carros novos possuem computador de bordo, mas que só é utilizado para fazer pequenos ajustes. Você controla a maioria dos elementos de um carro através de vários dispositivos mecânicos. Os robôs também diferem dos computadores na sua natureza física, já que computadores não têm um corpo.


Foto cedida pelo Laboratório de propulsão à jato da NASA
Urbie, o robô urbano da Nasa. Ele tem câmeras controladas por software e sensores que o ajudam a operar de forma autônoma em vários tipos de terreno. O URBIE checa áreas de risco aos investigadores humanos.

Na próxima página, vamos conhecer os elementos encontrados nas maiorias do robôs.